Fiz um pacto!

Não! Não é um pacto mágico, mas sim um guia que tive imensa vontade de fazer hoje para desfazer compromissos inconscientes que fiz ao longo da vida até então, com a crítica, a pressa, e a desatenção comigo própria! Aprendi que existe um espaço interior que me convidou a ser habitado. Durante o dia, e mesmo por vezes, durante a noite, a minha cabeça encontrava-se extremamente agitada, sentia que tinha de atender diversas demandas (em casa, no trabalho, nos relacionamentos) porém  na realidade nunca cessava... as pessoas continuavam a esperar de mim alguns compromissos e atitudes, isto é relacionar-se, isto é saudável, mas o que fazia com que me sentisse ansiosa, stressada, preocupada e agitada,... é na verdade um desrespeito comigo própria.  Percebam... quando estamos a fazer alguma actividade existe a expectativa do outro, e existe o nosso limite... o que deve ser feito na hora, o que deve ser feito amanhã... quando nos posicionamos de forma a ocupar o nosso espaço interior tornamo-nos numa presença inteligente, capaz de discernir o que é expectativa dos outros e o que nós realmente queremos e podemos dar no momento! Reparem... sempre que surge uma (pré) ocupação com qualquer situação, sempre que surge uma ansiedade em relação a alguém ou a algo, é porque queremos ultrapassar os nosso limites saudáveis. Muitas das vezes não nos apercebemos que nos estamos a desrespeitar, vamos dormir e mesmo assim continuamos a pensar em vários aspectos e situações do dia e do amanhã. Comemos focados em algo que ainda está para vir... a nossa digestão é afectada, bem como a nossa memória, o nosso senso de orientação e de equilíbrio também são eles afectados. Hoje tenho uma nova visão da ansiedade!!!! Comecei a perceber que não é como ela se mostra e revela! A fala da ansiedade é assim: "Existe muita pressão na vida, existem problemas que têm de ser resolvidos, existem coisas urgentes e inadiáveis, caso eu não consiga resolver o problema ... o mundo vai desabar." Consigo agora perceber como a voz da ansiedade é uma voz exagerada, dramática! E não ... o mundo não caiu, não desabou!  Para combater a ansiedade  precisei de me tornar flexível, e tive obrigatoriamente de observar a vida como uma dança... movimentos flexíveis, adaptar-me às curvas da vida. Adaptar-me e ser flexível não é ser fraca, pelo contrário, a força vem quando se tem calma e quando estamos centrados. Até hoje acreditei que a calma, que a ponderação, que a paciência, eram características de pessoas fracas, preguiçosas, moles ... porém os resultados que a ansiedade me mostrou são resultados negativos, muito negativos! Senti me a perder o próprio poder, por querer abraçar mais do que conseguia. Os limites são extremamente saudáveis, os limites são meus amigos. Funciono bem quando atendo primeiramente aos limites do meu corpo, do meu sono, a minha necessidade de alimentação, e aos meus horários biológicos!  Não mais ultrapassarei os limites do meu corpo, físico, mental e emocional, para atender expectativas dos outros e de situações na minha vida! Não mais tentarei extrepolar os limites acreditando que caso não o faça serei uma pessoa fracassada. A vida ensinou-me a crer que era preciso abraçar tudo de uma vez, a crer que era preciso ser perfeita, em nunca errar, mas essas expectativas apenas me magoaram, fizeram-me muito mal. Neste momento do agora, que é o único momento que existe, faço um compromisso comigo própria... só farei o que for saudável para mim, o que me for confortável, possível e viável. Não mais me deixarei levar à exaustão por actividades que podem ser desempenhadas com calma. Todas as vezes que eu sentir que não há tempo, que as coisas são urgentes, que as coisas têm de ser feitas na perfeiçãoirei-me lembrar que eu já sou a perfeição em vida. Talvez eu tenha aprendido com a sociedade que eu preciso mostrar-me sempre perfeita, que eu preciso sempre de ultrapassar limites, que eu preciso de adquirir situações de coisas e pessoas na minha vida para provar que tenho valor. Porém, HOJE, NESTE MOMENTO, compreendo profundamente que eu tenho tenho todo o valor apenas por existir! Chega de cobranças, chega de querer atingir níveis de perfeição!!!! Sou perfeita com todas as minhas imperfeições e com muita gratidão!!! Prometo a mim mesma tratar a minha mente com equilíbrio, colocando me em actividades que eu possa desempenhar com calma e foco! A minha mente é uma poderosa aliada, o meu raciocínio, o meu intelecto, são grandes amigos e prometo nunca mais colocá-los em circunstâncias desorientadas, aflitivas, em que eles não me saibam responder positivamente. Compreendo agora que o meu corpo, a minha mente e as minhas emoções não foram feitas para suprir desejos da sociedade e do que as pessoas esperam de mim. O meu corpo, mente, emoções e a minha energia como um todo, foram criadas para satisfazer-me e sustentar-me. Não mais permitirei colocar-me em situações emocionalmente instáveis, mentalmente desorientadas e fisicamente exaustas. Se quero equilíbrio terei de começar por mim mesma! É AGORA! É a estabilidade emocional que me dá energia, vou cuidar da minha energia com carinho, pois no fundo sei que as pessoas agitadas, inquietas e ansiosas, pensam estar a lutar pelas suas vidas, sei que é com boa intenção... pois um dia também o fiz!! Mas escolho não mais entrar nessa dinâmica invasiva e destrutiva. 
HOJE É O DIA DE ABRIR MÃO! E DE ME VOLTAR PARA O QUE REALMENTE IMPORTA... O COMPROMISSO COM O MEU BEM ESTAR! Faço hoje a opção consciente de me sentir em paz, com calma, e respeito comigo mesma! A partir de hoje cancelo todos os meus contratos e compromissos internos, com o padrão até então vivenciado. Não quero que a vida seja uma luta. 






PowerBlog by Verónica Caraça

1 comentário: